Doenças nos peixes

Doenças nos peixes

Para dizer a verdade, por norma quando os nossos peixes ficam doentes, apenas um destes dois motivos é que são a causa: ou já vieram doentes da loja de animais (raro) ou estamos a cuidar deficientemente dos nossos peixes (comum). A carência de nutrientes na alimentação, a falta de higiene ou mesmo a mudança das características da água são motivos fortes para os nossos peixes adoecerem.

Para além disso, há peixes muito mais sensíveis que outros e por isso ficam muito mais fragilizados quando algo está mal para eles. E essa fragilidade torna-os mais vulneráveis a certas doenças caso não sejam cuidados devidamente.

Na continuação vamos falar um pouco de algumas das doenças que podem surgir nos peixes, como detectá-las e o que fazer caso surgem.

Doença dos pontos brancos (íctio)

Esta é das doenças mais comuns em qualquer aquário. Os pontos brancos são causados por parasitas que durante o inverno se desenvolvem de forma a multiplicarem-se e afectarem todos os peixes no aquário. Estes pontos / parasitas vão-se alimentando do sangue do peixe até que ele não tenha sangue suficiente para sobreviver.

O aumento da temperatura do aquário é a melhor forma de eliminar o parasita, já que depois dos 28 graus este já não sobrevive. Existem também soluções específicas que podem ser misturadas na água para combater os pontos brancos.

Piolhos

Funcionam da mesma maneira que os nossos piolhos. Alojam-se nos peixes e alimentam-se do seu sangue, o que faz com que os peixes tenham muita comichão. Podemos detectá-los nos peixes pois ficam agarrados à pele. O pior deste parasita é que pode colocar ovos e afectar todos os peixes à sua volta.

Através de uma pinça devemos remover todos os piolhos e depois curar quaisquer feridas existentes. Existem produtos farmacêuticos específicos para eliminação de piolhos na totalmente dentro de um aquário.

Doença do algodão

Esta doença é comum quando há algo errado no aquário. Ou existem espécies agressivas que lhe andam a atacar ou o aquário contém demasiados peixes para o seu tamanho. Podemos detectar tufos de algodão no corpo do peixe, quase como se fosse algodão (mas que são fungos na realidade).

Como os fungos necessitam de uma temperatura específica para resistem, aumentar a temperatura do aquário é uma boa ideia. Durante alguns dias, colocar a temperatura nos 32 graus é suficiente. Para acelerar o processo, o uso de fungicidas também pode ser algo a ponderar.

Hidropisia 

Esta doença bacteriana por norma não tem cura. Causa falha renal, o que afecta directamente a eliminação dos líquidos. Como consequência, veremos o peixe a inchar e a ganhar novas infecções em zonas mais sensíveis.

Apesar de ser bastante difícil curar um peixe com hidropisia, a utilização de antibióticos ajudará a desacelerar a progressão da doença.

Apodrecimento das barbatanas 

Esta doença bactéria surge normalmente pela falta de cuidados de higiene, mas poderão haver outros motivos como uma má dieta, e afecta principalmente as espécies com barbatanas grandes. Inflamações e degeneração das barbatanas são o sintoma mais comum.

Para melhorar a saúde dos peixes afectados é necessário rever todos os cuidados que prestamos, principalmente revendo a limpeza do aquário para verificar se há algo que estamos a deixar escapar. A aplicação de um bactericida para fazer passar a inflamação das barbatanas é igualmente importante.

Parasitas intestinais

Estes parasitas normalmente surgem através do contágio de novos peixes no aquário, que já vinham com estes alojados no intestino. O emagrecimento do peixe independentemente do que coma é um sintoma, mas em situações graves até vemos os parasitas a saírem do ânus do peixe.

Um veterinário analisará a gravidade da situação e indicará o medicamento mais adequado para que seja misturado com a comida e ajude a eliminar os parasitas alojados no intestino.

Lerneopodídeos

Esta doença é causada por um parasita de nome Lernaea que se enterra na cabeça do peixe. Ele faz com que o peixe tenha a necessidade de se coçar constantemente no aquário e a sua pele começa mesmo a inflamar.

A melhor forma de curar o nosso peixe é removendo este parasita alojado na cabeça através de uma pinça e posteriormente aplicar um anti-séptico adequado para peixes para sarar quaisquer feridas que o peixe tenha contraído.

Prisão de ventre

Tal como acontece connosco, uma dieta deficiente é normalmente a causa de tal problema nos intestinos. Ou a alimentação que damos não é suficiente, ou é incorrecta para ele ou até mesmo damos comida a mais e o peixe deixa de ter capacidade de expulsar tudo do seu corpo.

Para ajudá-lo, é possível aplicar sulfato de magnésio na água (meia colher por cada 5 litros bastará. A correcção da dieta será também necessária para que não volte a acontecer.

Compártelo en tu red social:
Más en Animais - Peixes:
Aviso legal Contacto Google+ Facebook