Peixe-borboleta

Peixe-borboleta

Descrição

O Peixe-borboleta, ou Carnegiella Strigata é um peixe proveniente da América do Sul, e o seu nome “borboleta” surgiu do facto dele gostar de saltar para fora de água e bater as barbatanas ao mesmo tempo, quase como se estivesse a voar como uma borboleta. Ele não paira, nem muito menos voa, no entanto o efeito é mesmo de algo a bater asas.

Apesar da sua popularidade entre os fãs da aquariofilia, não é um bom peixe para se ter quando estamos no começo, como veremos na continuação deste artigo.

Esta espécie é relativamente pequena, podendo chegar até aos 4 cm sensivelmente. Não existe grande diferença entre machos e fêmeas, de tal forma que a única forma de o detectarmos será mesmo vendo a fêmea maior devido aos ovos presente no seu corpo quando se encontra grávida.

As barbatanas, como já referimos, são fortes o suficientes para impulsionar o peixe para fora de água e percorrer um par de metros com o seu salto.

Aquário

Uma característica que queremos já referir pois poucos são os outros peixes que necessitam desse cuidado é o facto novamente dele saltar. Se estiver a viver num aquário aberto é muito provável que salte para fora de água e quando menos esperarmos ele não estará lá.

É necessário, para além de todas as características que vamos detalhar, que o aquário possua tampa e se possível que não tenha água até acima. A inclusão de plantas fará com que ele não tenha tanta necessidade de saltar.

Em relação às características do aquário, o aquário deve possuir uma temperatura entre 24 e os 26ºC, um pH por volta dos 6,5 e um dH que ronde os 5 e os 18 dH. Com estas características o aquário estará pronto para receber o peixe-borboleta.

Esta espécie gosta de viver em cardume mas só com os da mesma espécie. Inclusive apesar de o podermos colocar num aquário comunitário, ele é um peixe que vive na zona superior do aquário e não deve ser misturado com outros peixes com a mesma característica.

Por norma ele não é agressivo, antes pelo contrário. Caso se sinta incomodado por outros peixes mais vivos, o mais certo será esconder-se na vegetação.

Dieta

Esta espécie come um pouco de tudo, desde ração a alimento vivo, congelados, vegetais, etc. Por isso motivo é fácil oferecer uma dieta bastante variada com tudo aquilo que ele gosta e necessita.

No entanto há algo que se deve ter em mente: ele não irá ao fundo buscar a comida que não apanhe. Por essa razão, não só não se deve administrar porções largas de comida para que ele não falhe quase tudo aquilo que lhe queres alimentar como também se possível, a alimentação deve ser constituída por alimentos que os outros peixes também comam. Desta forma evita-se uma acumulação de comida no fundo do aquário.

Reprodução

A reprodução desta espécie também não é fácil em cativeiro. É necessário simular um pouco o seu habitat, colocando os peixes-borboleta num aquário grande (no mínimo 100 litros), com espaço para eles saltarem (não para fora de água, claro), uma boa iluminação e algumas plantas flutuantes.

O facto deles saltarem faz parte da dança de acasalamento, e sem esse espaço dificilmente a dança será completa. Em caso de sucesso as plantas irão servir para suportar os seus ovos.

Como é quase impossível distinguir os machos das fêmeas, numa fase inicial será difícil tentar colocar um macho e uma fêmea num aquário de maternidade, mas após termos achado quem é quem, este passo torna-se mais simples.

Compártelo en tu red social:
Más en Animais - Peixes:
Aviso legal Contacto Google+ Facebook